SELF-COMMUNICATION - O PODER DO DIÁLOGO INTERIOR

A comunicação é o principal instrumento para os relacionamentos pessoais e profissionais em toda e qualquer situação da vida. Ela tem um poder transformador, pois pode conduzir ao conflito ou ao entendimento, à discórdia ou à paz, ao fracasso ou ao sucesso.

A comunicação é a ferramenta para a criação da realidade e de cenários positivos ou negativos; tudo começa na comunicação intrapessoal, ou seja, o Self-communication.

O Self-communication é a comunicação consigo mesmo e tem início no processo de reflexão e diálogo internos. Perceber e resolver problemas mentalmente, avaliar o custo e os benefícios antes de tomar decisões de forma assertiva é parte da gestão emocional necessária para uma vida saudável, equilibrada e bem sucedida.

É por meio da comunicação intrapessoal que aprimoramos o relacionamento conosco, nos fortalecemos nas nossas qualidades e percebemos o que ainda precisa ser desenvolvido. Isso se dá por meio do autoconhecimento, tornando conscientes as nossas virtudes, valorizando-as e aprimorando-as constantemente; do mesmo modo que percebemos os nossos limites, oportunidades de aprendizagem para também ampliarmos nossas competências, com novas técnicas e novos saberes.

A partir de um diálogo interno saudável e produtivo, ampliamos a nossa percepção sobre nossas emoções, nossa intelectualidade, nossas crenças, nossa fisiologia, nossos paradigmas e aguçamos a nossa sensibilidade, para também reconhecer e respeitar as diferenças individuais, ampliando as chances de aprimoramento nas relações interpessoais.

Desenvolver a autoestima é uma etapa essencial para o aprimoramento dos cuidados consigo mesmo. Acreditar em si, nas suas possibilidades, eliminar ou reduzir crenças limitantes, ajustar o comportamento a crenças válidas nos tornam autoconfiantes e nos impulsionam a ampliarmos nossa coragem e ousadia para agir.

A metáfora de olhar-se em um espelho imaginário e a observação das características da pessoa refletida é perfeita para refletirmos sobre nosso diálogo interno.

Por exemplo: Como você se vê? Quais são as suas qualidades? Quais são os seus valores principais? Como vê o seu corpo? Do que mais gosta em você? Do que você não gosta?

É curioso quando propomos exercícios semelhantes em sala de aula, a maioria das pessoas tende a falar mais sobre aspectos que reconhecem como negativos, do que características positivas.

Por isso, a partir da conscientização real e a crença em nossas capacidades podem processar mudanças significativas em nossas atitudes e comportamentos, abrindo um novo caminho para um novo mundo de sensações e realizações.

O self communication é um processo no qual a aplicação da metodologia F.A.L.A.R. (Finalidade, Análise, Lapidação, Avaliação e Resultado) evidencia e propõe uma ampliação da autopercepção para uma vida nova, dimensão, gerando infinitas possibilidades de autorrealização.

A aplicação dessa metodologia obedece aos seguintes passos:

F - Finalidade - É o sonho a ser atingido, a meta a ser alcançada. Se eu sei onde quero chegar, fica mais claro que tenho uma jornada, um destino, um ponto final. Ao contrário, se eu não sei onde quero chegar, qualquer caminho serve.

A - Análise - É a fase na qual percebemos a realidade, identificando as forças favoráveis e desfavoráveis, para o atingimento do objetivo (ou finalidade). Destaca os elementos externos que possam interferir positiva ou negativamente, para o atingimento da meta. Evidencia as competências existentes, os recursos ausentes, enfim, todos os elementos que existem, incluindo as minhas crenças e interpretações da realidade. A finalização dessa etapa culmina com a elaboração de um plano de ação.

L - Lapidação - É a hora de colocar a "mão na massa", de realizar, de aprender, de exercitar, de fazer cursos, de fazer as coisas acontecerem de verdade, com foco, determinação, direção, energia, entusiasmo, pedindo ajuda, buscando recursos, investindo e processando as mudanças necessárias para que a finalidade seja alcançada.

A - Avaliação - É a etapa que verifica o que já foi feito, se o que já foi conquistado responde à pergunta: "Isso é suficiente para que a finalidade seja alcançada?" Se houver a necessidade de alguma ação complementar, volta para a "lapidação", até que a avaliação mostre que o resultado foi atingido.

R - Resultado - Deve coincidir com a finalidade, que pode ainda ser complementada com um processo de manutenção ou algum eventual ajuste, no decorrer do tempo.

Utilizando a metodologia F.A.L.A.R. para o autodesenvolvimento, em especial no projeto "self communication", é natural que as pessoas passem cada vez mais a ser luz, do que refletir luz, pois o desenvolvimento da sua própria consciência e do seu potencial gera uma jornada de sucesso, em todos os segmentos da vida.


REINALDO PASSADORI